Garatéa e 192 SMART: uma parceria para salvar vidas através da tecnologia

Garatéa e 192 SMART: uma parceria para salvar vidas através da tecnologia

Apesar da eficiência dos serviços públicos de emergência, o estudante de engenharia mecatrônica Alexandre Lima percebeu que nem todos os brasileiros recebiam o atendimento no menor tempo possível. Em virtude disso, buscou uma solução para o problema com foco na melhoria dos chamados que ocorriam na periferia. Nascia assim o Garatéa, palavra que em tupi-guarani significa “guarda-vidas”

Em outubro do ano passado, Alexandre conheceu Adriana Mallet e Anderson Scaloni, idealizadores do 192 SMART, ao participarem juntos do Ford Fund Lab, programa de aceleração da Ford Fund em parceria com a Artemisia, organização de fomento ao empreendedorismo social. No programa, o Garatéa foi uma das três startups selecionadas e recebeu um capital semente de US$ 6,6 mil para aprimorar as soluções.

Como entenderam ter um propósito comum, o Garatéa e a equipe do 192 SMART decidiram construir juntos uma parceria. “Nos conhecemos e percebemos a sinergia de propósitos. Durante as cinco semanas de programa, conversamos e entendemos que poderíamos contribuir mutuamente, inclusive integrando nossos sistemas para que a comunicação e a interface com os serviços públicos fossem mais rápidas e eficazes”, conta a médica Adriana Mallet, uma das desenvolvedoras do aplicativo.

O Garatéa desenvolve soluções que buscam aumentar a taxa de sobrevivência em emergências médicas, para que “nenhum brasileiro ou brasileira tenha a saúde prejudicada em função da demora no atendimento de urgência”. A ideia é agilizar o atendimento inicial em situações de emergência, especialmente em regiões periféricas ou de difícil acesso. “Quando você entra em contato com serviços como o SAMU para solicitar socorro, normalmente espera de 10 a 20 minutos até que uma ambulância chegue para iniciar o tratamento”, explica Alexandre. “Entretanto, esse tempo de espera aumenta drasticamente em regiões periféricas”, lamenta o empreendedor.

A partir da tecnologia, o próprio SAMU pode notificar uma rede de profissionais e voluntários previamente capacitados nas regiões em que o Garatéa atua. Essas pessoas treinadas podem iniciar medidas de pré-atendimento no local da ocorrência e repassar informações em tempo real para que os socorristas do SAMU entendam com precisão qual é a situação. Com isso, o trabalho dos profissionais é agilizado, aumentando as chances de sobrevivência das vítimas.

“Entendemos que colaborar para criar impacto positivo no público e para construir produtos de valor na área de educação para resposta adequada em urgências deve ser o caminho dessa parceria que está só começando”, comemora Adriana. “Criar um negócio que além de ser sustentável causa impacto é um desafio enorme e sem cooperação esse desafio aumenta mais ainda”, diz Alexandre. “Fico muito feliz por ter o 192 SMART como parceiro nessa missão. Juntos, ainda vamos melhorar muito a saúde brasileira!”

Category

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *